Terça, 27 Março 2018 14:18

Anchieta B vence Rappers

Anchieta Fears B e Rappers Basketball estrearam na Liga B em bom jogo no último domingo (25/03).

As equipes, que basicamente mantiveram seus elencos com relação a temporada passada, fazem parte do grupo de D da Liga B, divisão de acesso ao Estadual Amador.

O jogo começou com amplo domínio do Anchieta Fears que logo mostrou sua força ofensiva vinda da velocidade do armador Glauber e dos alas Marcelinho e Cris Costa. O trio combinou para 16 dos 19 pontos da equipe no primeiro quarto, contra apenas 7 da equipe de Belford Roxo.

O Rappers que havia surpreendido com a manutenção de seu melhor pontuador no banco, o ala Fernando Marins, durante quase todo o primeiro quarto, reagiu no segundo quarto com a entrada da fera, que converteu nada menos que 12 pontos de 12 tentados, e com isso colocou os Rappers de Bel, bem próximo do placar. O Anchieta assimilou o golpe e o placar terminou com apenas 2 pontos de vantagem para a equipe do subúrbio carioca.

Na segunda metade da partida o jogo que prometia muita emoção com a aproximação do Rappers no placar, esfriou. O trio que conduzia a pontuação do Anchieta ganhou mais um integrante, o ala Danilo, que fazia sua primeira partida pela equipe, foi autor de 9 de seus 12 pontos apenas no segundo tempo, o que ajudou na ampliação da diferença do placar, mesmo com a boa atuação de Fernando Marins, que lutou muito nas duas áreas pintadas da quadra. Fernando terminou o jogo com 24 pts, 9 rebs e 2 ass, mostrando que é um dos grandes pontuadores da Liga B.

Por parte do Anchieta os números dos destaques ficaram assim: Cris Costa (13 pts, 11 rebs e 2 ass), Marcelinho (12 pts, 5 rebs e 5 ass), Glauber (9 pts, 2 rebs e 5 ass) e Danilo (12 pts e 8 rebs).

Published in Liga B
Segunda, 26 Março 2018 17:31

Na prorrogação, Mad Lions vence!

 

No agitado domingo de jogos na Vila Olímpica de Mesquita, Mad Lions e Santa Cruz Black Panthers abriram a rodada da Liga B, em um jogo sem qualquer sinal de sonolência típica de um domingo de manhã.

mad lions squad

Com muita intensidade por parte das equipes, a partida teve um primeiro quarto barulhento, originado pela veemente vibração dos sucessos defensivos e ofensivos do Santa Cruz Black Panthers. Liderados pelo experiente Cristiano Assis, a equipe da Zona Oeste venceu o primeiro quarto por 19 a 10 e assustou o Mad Lions.

No segundo quarto, o Mad Lions copiou a intensidade e vibração defensiva do Santa Cruz e reagiu, vencendo por 17 a 9, reduzindo a diferença para apenas 1 ponto ao fim do primeiro tempo. O placar do quarto terminou 28 a 27.

O Capitão do Mad Lions, Bruno Lucas, foi o destaque do terceiro quarto com 7 pts em 7 minutos jogados. Apesar do baixo aproveitamento nas bolas de 3 pontos, nesse quarto, Bruno foi muito bem nos arremessos de média distância e seus companheiros de garrafão Elielson(13 rebs) e Carlos Guilherme(10 rebs) neutralizaram as ações do Cristiano e do veloz armador do Santa Cruz, Luiz Fernando. O quarto terminou 15 a 7 para o Mad Lions, que a essa altura liderava o placar por 7 pontos.

Na parte final do jogo, o bom e veloz controle de bola de Luiz Fernando conseguiu superar a fechada defesa do Mad Lions, algo que parecia difícil. O armador converteu 7 importantes pontos para equipe, a mesma quantidade de pontos do garoto Drault, que surgiu como uma impressionante atuação no que foi a parte mais importante do jogo para os Panteras da Zona Oeste. Drault, apesar dos 19 anos, foi decisivo para a reação final da equipe, sendo muito corajoso na busca pela cesta nos minutos finais da partida. Com os 14 pontos combinados de Luiz e Drault, o Santa Cruz venceu o quarto por 15 a 8 e empatou o jogo em 50 a 50 no fim, levando a partida para o período extra.

No overtime, a emoção e vibração que foi exaltada nos 40 minutos anteriores, simplesmente se esvaiu. O Mad Lions liderou e abriu vantagem desde o início, dessa vez com o ala Guilherme Amaral, autor de 7 pontos na prorrogação e 14 no total, sendo o cestinha da partida ao lado de Luiz Fernando. No final, os Leões venceram por 64 a 55 e garantiram a primeira vitória da equipe no grupo B da Liga B.

Published in Liga B
Quinta, 21 Dezembro 2017 14:03

Jequiá é Bi Campeão no +40

Sabe aquele timaço que você respeita? Repleto de amigos que brilharam em um passado recente nas quadras do Brasil e do Mundo? Então, esse é o time da categoria +40 do Jequiá Iate Clube, Bi Campeão Estadual Máster da Liga Super Basketball.

jequiá 40

A equipe que começou sua campanha na competição com duas derrotas, conseguiu se reabilitar e seguiu rumo ao título com boas atuações coletivas e individuais. Jogadores como, Douglas Motta(25p, 5r e 4a), que foi fundamental no jogo 1 da final, vencido por 95 a 66, contra o Arquirrival SC Mackenzie, foram fundamentais para a conquista do título. Douglas teve números tão expressivos, que foi eleito o melhor jogador da competição.  Além do experiente ala, o pivô Márcio Paulo, também foi um dos principais colaboradores para a campanha que levou ao título. Com médias de 20,4 ppj e 15,6 rpj o pivô dominou o garrafão e seus adversários ao longo da competição. Contudo, no jogo 2 da final, vencido por 110 a 91, o cara que dominou o garrafão foi o irmão do Márcio Paulo, o pivô Marcelão, que fez um duplo-duplo na final, com 15p e 16r. Márcio e Marcelão foram eleitos os melhores pivôs da categoria máster +35.

Com o título, a equipe da Ilha do Governador, chegou ao Bi campeonato da categoria e já provou faz tempo, que é uma das forças do Basquete Máster do Rio de Janeiro.

O elenco campeão foi formado por Zé Azevedo, Roberto, Marcelão, Márcio, Carlos Henrique, Serjão, Celso Gerbassi, Douglas Motta, Adriano Mandriola, Daniel Riente, Jorlani e Emerson Manso.

Parabéns ao Jequiá Iate Clube por mais um título na Liga Super Basketball.

Published in Master

O treinador e o assistente técnico que irão comandar a seleção da Liga Super Basketball que representará o Rio de Janeiro na Liga Sudeste de Basquete Amador, foi definido nessa semana e os nomes são: Gabriel Dutra (Municipal) e o Renan Pimentel (Kobras) respectivamente.

O técnico Gabriel Dutra(Municipal) entregando o Troféu de vice campeão da Liga Sudeste 2016 para o capitão Marcelo Henrique (Kobras)

Published in Estadual

No sábado (12/08), a Vila Olímpica de Mesquita recebeu mais uma partida da Liga B e o NBR/Campos de Goytacazes enfrentou o Meriti Falcons. Veja como foi a partida.

meriti 1

RESUMO DO JOGO

Antes de falarmos propriamente da partida, vale ressaltar os trabalhos desses dois times. O time do NBR vem de longe para jogar partidas na capital e luta contra as dificuldades que a sua cidade encontra.

Mas se falarmos de superação, um dos primeiros times que devemos lembrar, é o do Meriti Falcons. O projeto que retirou esses jovens do risco de ir para o “caminha errado” e incluindo eles em um esporte, merece toda a atenção.

Mesmo não tendo lugar fixo para treinos e até mesmo “brigando” por seu espaço em praças de São João de Meriti (Baixada Fluminense). O projeto mostra a cada dia, que o esporte aliado a educação, é fundamental para o jovem. O Meriti Falcons nos dá uma lição diária nesse sentido.

Fazer um projeto em um país que as diferenças sociais estão cada vez ao nosso lado, só nos mostra que basta querer. Vendo pelo lado esportivo, é prazeroso ver o que o esporte proporciona a esses jovens. Conversando com o idealizador, ele já disse que a equipe deve montar times de base. É o basquete respirando meus amigos e isso é um orgulho enorme para a Liga Super Basketball.

Esses jovens vão ser atletas profissionais? Não sabemos. Viverão de basquete? Não sabemos.

Mas podemos afirmar, que essa experiência está mudando a vida de cada um. Pode ter certeza disso. A cada passo dado em quadra, a cada arremesso tentado, a cada vitória comemorada, a cada derrota sentida como se fosse numa final, o Meriti Falcons saberá que sempre será um vencedor. Pois no jogo da vida real, a equipe da baixada fluminense segue ganhando de lavada.

Mas depois dessa introdução, vamos falar da partida...

As duas equipes entraram em quadra precisando da vitória para buscar uma colocação melhor no campeonato e a partida equilibrada que todos esperavam, não aconteceu.

O NBR começou errando muito a construção do ataque e quando conseguia armar a jogada, a conclusão estava longe da ideal. A equipe perdia arremessos importantes no ataque e teve muita dificuldade para encaixar a sua defesa.

Pelo lado do Falcons, vimos uma equipe buscando o jogo todo no perímetro. Mas diferente do seu adversário, a conclusão estava excepcional. Matheus da Silva acertou 5 de 9 arremessos de 3 pontos, cerca de 55% de acerto.

Vale ressaltar, que a equipe toda terminou com 10 bolas de 3 pontos, então mostra como o Matheus foi importante nesse quesito.

O primeiro tempo terminou com o Falcons vencendo por 32-12 e já mostrava qual seria o ritmo do segundo tempo.

Na volta do intervalo, o NBR ainda errava na conclusão e agora tinha enormes dificuldades para escapar da defesa pressão do Falcons.

Se no primeiro tempo o NBR ainda conseguia criar algumas oportunidades, esse segundo foi um domínio da equipe de Meriti. O Lucas Corsino foi o grande destaque da equipe, terminando com 15 pontos e 14 rebotes.

Pelo lado do Meriti, as bolas seguiam caindo na cesta adversária e parecia que não iria parar. Matheus Silva (17 pontos) e Marlon Douglas (16 pontos e 12 rebotes), foram os grandes destaques do time da baixada fluminense.

No fim, o Meriti Falcons saiu da Vila Olímpica de Mesquita com uma ótima vitória por 61-36.

Published in Liga B
Quarta, 02 Agosto 2017 07:10

Massacre Alvinegro

Neste domingo dia 30 de julho em General Severiano o Botafogo recebeu o ABVRJ em partida válida pela fase de classificação do campeonato master + 45. O Botafogo vinha liderando o campeonato de maneira invicta e recebeu um adversário que contava com apenas uma vitória na competição.

 fogo master45

O Jogo:

A bola subiu e não demorou muito para que se pudesse perceber que não seria hoje que o Fogão iria perder a invencibilidade.

O primeiro período terminou 32 x 7 para dos donos da casa, e a reação natural de qualquer um é tecer críticas ao adversário. No entanto, diante de uma campanha tão forte da equipe do Botafogo é de suma importância reconhecer o trabalho daqueles que enfrentam e bem uma equipe tão forte.

Dito isso o esforço de jogadores como André Barbosa, que foi o jogador com maior tempo de quadra entre as equipes e saiu com 13pts, 4reb e 2ass. Ou ainda de Gilberto, o jogador mais eficiente do ABVRJ que terminou a partida com 12 pontos de eficiência, merecem destaque.

Mais destaque ainda merece a campanha do Botafogo. A equipe alvinegra proporciona um espetáculo a cada jogo.

No último domingo, excedeu as expectativas com atuações brilhantes de Alberto, Andrew e José Alves o time alvinegro estabeleceu o recorde de pontos na temporada e deu um alerta claro a todos que disputam a competição. Se alguém dificuldade de entender eu traduzo: "Lutem pelo segundo lugar porque o primeiro já tem dono”.

Fim do jogo 133 x 55

Ao ABVRJ cabe esquecer este duelo ignorar a surra e buscar a recuperação contra o próximo adversário. Por que é evidente que esse placar não traduz a qualidade de sua equipe.

Destaques:

Alberto Leite (Botafogo): 31pts, 13reb, 12ass e 3rou;

Andrew (Botafogo): 38pts, 5reb, 6ass e 1rou;

José Alves (Botafogo): 26pts, 2reb, 6ass e 1 rou.

Published in Master

Neste domingo dia 30 de julho o ginásio da Universo São Gonçalo foi o palco para uma importante partida do grupo D da Liga B. Tanto Macaé Epic quanto Cascadura Ducks entraram em quadra com chances matemáticas de terminarem na liderança do grupo.

 macae epic squad

O Jogo:

1º Período:

A partida começou muito corrida com ambas as equipes queimando rapidamente os arremessos e amassando o aro em decorrência disso.

No entanto bastou o Gabriel Lontra abrir o marcador com o um tiro de 3 pontos pra colocar o Macaé nos eixos e comandar uma corrida de 7 x 0.

O técnico do Cascadura, Matheus Oliveira até que esperou o time se arrumar em quadra, mas quando viu o adversário abrir 11 x 2 parou o jogo para estancar o sangramento.

A bronca não surtiu efeito faltavam 4 minutos pro fim quando finalmente o Cascadura encontrou o caminho da cesta.

Com isso foi a vez do Macaé voltar a se desentender com o aro, permitindo que os Ducks reagissem e em uma cesta de Daniel Zeitune à 15 seg do fim, cortasse a vantagem para apenas 2 pontos.

2º Período:

Vantagem disseminada, ambas as equipes receberam instruções o que se esperava para o segundo quarto era o que as equipes tinham de melhor correto?

Contudo o que se viu beirou o show de horrores, as equipes potencializaram o que de pior tinham feito e conseguiram a proeza de fechar o quarto com o placar parcial de 6 x 4 para os Epics, 21 x 17 no agregado.

3º Período:

Na volta do intervalo vimos uma reprise do primeiro quarto com o Macaé abrindo na frente o Cascadura correndo atrás do prejuízo e baixando a diferença no final.

Contudo o placar agregado somava 35 x 29 para os Épics exigindo uma mudança de postura da equipes de Cascadura na etapa final.

4º Período:

Quem esperava uma grande atuação dos Ducks se surpreendeu com o magnifico último período do Macaé Epics.

Comandados por Marcus Philippe o time praiano atropelou o adversário e confirmou uma vitória importante o consolidou na briga pela liderança. Final 63 x 43.

Destaques:

Marcus Philippe (Macaé Epics): 22pts, 8reb, 4ass, 1rou e 3toc;

Lucas de Oliveira (Macaé Epics) 8pts, 17reb, 5ass, 1rou e 2toc;

Gabriel Lontra (Macaé Epics): 13pts, 3reb, 1ass, 1rou e 1toc;

Guilherme Horta (Cascadura): 27pts, 10reb, 2ass, 2rou, 2toc.

Published in Liga B

Neste domingo dia 30 de julho de 2017 a Faculdade Gama e Souza Trovões enfrentou o Bad Angels, em partida válida pelo Campeonato Estadual Amador. Já classificados para os playoffs, os Trovões encaravam a partida como parte da preparação para a próxima fase, enquanto o Bad Angels jogava contra o rebaixamento.

 gama e souza trovões

O Jogo:

1º Período:

A bola subiu e Vitinho dos Trovões deixou claro porque é um dos cestinhas da competição. Imprimindo uma velocidade enorme, ele cortava a defesa adversária como um raio e mostrava um impressionante controle do corpo e habilidade para finalizar.

Pelo Bad Angels, coube ao bolinho tentar diminuir o ímpeto adversário e controlar o ritmo da partida, na medida do possível, acionando seus companheiros e despejando bons arremessos do perímetro. Parcial (22 X 18).

2º  Período:

Vivendo grande fase (individualmente falando), Bolinho subia seu nível de jogo a cada minuto. Mostrava bastante empenho na defesa, mesmos em conseguir de fato ser impactante, mas era no ataque que o jogador do Bad Angles brilhava. Com uma mudança de comportamento de Vitinho da Faculdade Gama e Souza / Trovões, que passou a distribuir mais as bolas ao invés de continuar agredindo a cesta, o Bad Angels passou a equilibrar a partida.

O armador do Bad Angels, passou a puxar contra ataques e bagunçar toda a defesa com belas infiltrações no jogo de cinco contra cinco, sempre alternando entre finalizar as jogadas e servir os companheiros, o que tornava a sua marcação algo muito difícil.  

Com tudo isso, em especial a uma boa atuação de seus pivôs os Trovões conseguiram se manter à frente e foram para o intervalo vencendo por 42 x 36.

3º Período:

Na volta para o segundo tempo as duas equipes conseguiram melhorar suas defesas. O Bad Angels passou a contar com mais jogadores vindos do banco que permitiu descansar os titulares e dar sangue novo no duelo físico, enquanto os Trovões conseguiram diminuir o impacto das infiltrações de Bolinho, que a essa altura, lutava, contra o rebaixamento, contra o adversário e contra o próprio cansaço.

O empenho defensivo gerou impacto direto no placar que já não crescia com a mesma velocidade do primeiro tempo. Ainda assim, a disputa continuou muito boa, com direito a vitória parcial do Bad Angels que renovou seus ânimos para o último período, no qual entraria perdendo por  apenas 55 x 50.

4º Período:

Se no terceiro quarto Vitinho foi de algum modo contido pela defesa do Bad Angels, o mesmo não se pode dizer do último quarto.

O cestinha do Campeonato Estadual Amador voltou a mostrar todo seu repertório. Entre arremessos, infiltrações e cestas espetaculares ele comandou uma brilhante vitória de sua equipe que deixou um recado claro aos “favoritos”. Se quiserem vencer terão que encontrar um jeito de parar o vitinho sem dar espaços para os seus pivôs jogarem um contra um.

Quanto ao Bad Angels, Bolinho teve seu esforço recompensado, com a derrota do Anchieta para o Niterói o time permaneceu no Campeonato Estadual Amador e de quebra ainda ganhou uma vaguinha para os playoffs, onde enfrentarão a equipe da UVA.

Final 83 x 70 para a Faculdade Gama e Souza/Trovões

Published in Estadual
Quarta, 02 Agosto 2017 06:51

Santo Elias conquista boa vitória

Na partida válida pelo Campeonato Estadual Amador disputado no Iguaçu Basquete Clube, AVBN/Niterói enfrentou o Santo Elias. Veja como foi a partida.

IMG 7473

RESUMO DO JOGO

O Santo Elias começou da melhor forma possível a partida. A equipe conseguiu imprimir um ritmo de jogo muito forte, que pareceu pegar desprevenido o time do AVBN.

A defesa individual, os roubos de bola e a transição rápida da equipe do Santo Elias, fizeram com que a equipe abrisse uma boa vantagem no marcador e mostrasse ao bom time do AVBN que a partida não seria fácil.

Mesmo começando mal, aos poucos o time de Niterói foi se encaixando na partida. Principalmente com a ajuda dos bons arremessos do Capilé (24 pontos, 6 rebotes e 4 assistências) que levou o time para o intervalo, com uma desvantagem de apenas um ponto no marcador.

Na volta do intervalo, o Santo Elias voltou mais focado e conseguiu mais uma vez encaixar a sua defesa. Vale ressaltar, que a equipe do AVBN não parecia estar em um dia bom. Os arremessos que normalmente caiam, nessa partida não aconteceu. O adversário não tem nada a ver com isso e aproveitava muito bem a oportunidades.

Foi assim que o Tiago Paulino (23 pontos e 4 assistências), Ian Sanches (21 pontos, 6 rebotes e 2 assistências) e Silvio Adriano (13 pontos e 13 rebotes), conseguiram fazer o Santo Elias crescer na partida e sair de Nova Iguaçu com uma ótima vitória por 79-69.

Published in Estadual

Neste domingo dia 23 de julho de 2017 a Vila Olímpica de mesquita abriu as portas para receber uma rodada cheia da LSB. A partida que abriu os trabalhos aconteceu entre Atlântico em Mad Lions válida pela 5ª rodada do grupo B da Liga B.

 numero 5 mad lions

O Jogo:

1º Período:

O jogo começou com as equipes se estudando, reflexo da responsabilidade inerente a esta fase da competição. Nesse mesmo sentido podemos dizer que as equipes começaram um pouco tímidas, aparentando até certa apatia para agredir a defesa adversária.

Com o passar do tempo os jogadores acabaram se soltando, mas o Mad Lions continuou com muita dificuldade para encarar a agressiva defesa do Atlântico.

Por outro lado o Atlântico encontrou o caminho para cesta através de Adriano. O pivô da equipe rubro-negra se mostrou um porto seguro desde a primeira posse de bola. Muito embora tenha sofrido um toco humilhante de Felipe Brasil ele fez a defesa do Mad Lions sofrer durante todo o primeiro quarto, garantido a liderança por 11 x 5.

2º Período:

Com o Adriano no banco do Atlântico, o Mad Lions cresceu na partida, sua defesa conseguiu imprimir extrema dificuldade ao Atlântico e passou a tentar algumas infiltrações que lhe renderam lances livres preciosos.

A agressividade da defesa do Atlântico acabou por trabalhar contra permitindo o adversário encostar no placar graças aos lances livres. Com a volta do Adriano a quadra o Mad Lions voltou a sofrer com a diferença de altura, tentando concentrar mais sua defesa próxima ao aro pra tentar conter o principal nome adversário. Melhor para o Atlântico que manteve a vantagem 20 x 16.

3º Período:

O segundo tempo se iniciou com o Mad Lions estendendo a marcação o que provocou extrema dificuldade a equipe do Atlântico, permitindo contra ataques que dissipou a vantagem obrigando o Atlântico a parar o jogo pedindo tempo.

Com a moral extremamente elevada o Mad Lions não demorou para virar o placar obrigando o Atlântico a lidar com a desvantagem pela primeira vez na partida. Com essa pressão da virada o Atlântico tentou fazer uma marcação quadra toda que permitiu ao Mad Lions encontrar espaços e consolidar a liderança para fechar o quarto vencendo por 38 x 33.

4º Período:

Insistir na defesa individual e manter o Adriano no banco custaram muito caro, a equipe de Belford Roxo, teve um primeiro tempo, com uma organização exemplar, mas que foi posta a prova com a perda da liderança e não respondeu nada bem. As medidas tomadas para mudar o quadro só permitiram ao adversário encontrar características que o favoreciam, causando uma derrota preocupante para esta altura da competição.

Ao Med Lions, essa dura partida serviu de alerta para os playoffs, onde provavelmente encontrará extrema dificuldade com equipes que tenham boas peças no garrafão. Final 56 x 45.

Destaques:

Eduardo de Castro (Mad Lions): 5pts, 14reb, 4ass e 5rou;

A. Batista (Mad Lions): 15pts, 4reb, 3ass;

Felipe Brasil (Mad Lions): 7pts, 3reb, 2ass e 10rou;

Wellinton Dutra (Atlântico): 14pts, 9reb, 2ass e 3rou;

Adriano Ferreira (Atlântico): 8pts, 10reb, 2ass e 1rou;

Vitor Chicanelli (Atlântico): 4pts, 4reb, 2ass e 1rou.

Published in Liga B
Página 1 de 2
Top