IMG 20180923 141609955

No domingo na Arena da Juventude em Deodoro, Vila da Penha enfrentou o Kobras e venceu por 73-69. O confronto foi muito disputado desde o ínicio, mas o Vila da Penha desde o começo conseguiu impor o seu jogo e com uma ótima partida do Herbert Izidoro (17 pontos, 3 rebotes e 7 assistências), o time conseguiu eliminar os atuais bicampeões da competição. 

Veja alguns lances da partida.

{youtube}-740eKMxSNs{/youtube}

Published in Estadual

kb

No último domingo no Sport Club Mackenzie, o Kobras enfrentou o Municipal pela terceira partida dos playoffs do Estadual Amador e conseguiu uma ótima vitória por 71-64. A partida foi intensa do começo ao fim, como todos esperavam. O confronto da primeira rodada dos playoffs, marcava o encontro entre as duas equipes finalistas da temporada passada e mais uma vez, o público presente viu um grande jogo.

O destaque da partida foi o Douglas Lorite com 19 pontos, 8 rebotes e 4 assistências.

Confira alguns lances da partida.

Published in Estadual

foto para felipe

A primeira rodada dos playoffs já começou para alguns times, mas um confronto em especial chama atenção nessa fase: Club Municipal vs Kobras Basketball.

Além de ser duas ótimas equipes, o jogo marca o reencontro da final do ano passado em que o Kobras acabou se consagrando bicampeão.

Os times não vêm fazendo uma temporada que anime tanto assim o torcedor, mas são times que crescem nessa fase de playoffs e devem fazer uma das melhores séries dessa primeira fase.

Depois que você já sabe um pouco o peso desse jogo, vou te mostrar o que ou quem pode ser determinante para esse jogo.

Kobras

Experiência: A equipe de Cabo Frio é uma das mais experientes no Estadual e conhece muito bem todos os atalhos da quadra. O time também já é conhecido por fazer uma temporada regular “morna” e começar a aquecer nos playoffs. Contando com muitos jogadores que estiveram nos dois últimos títulos, o Kobras pode usar isso ao seu favor contra os jovens do Municipal.

Thiaguinho e Victor “Pezão”: O time do Kobras tem vários bons jogadores que se destacam, mas ultimamente o armador Thiaguinho (14 pontos por jogo) e o ala Victor “Pezão” (11 pontos e 10 rebotes por jogo), estão sendo peças fundamentais para a equipe. O controle de jogo na partida, passa pelas mãos do Thiago. O armador além de ser fundamental para ser o criador de jogadas, ainda mostra um bom aproveitamento nas bolas do perímetro.

Já o Victor, é o ala que impõe uma intensidade muito forte nos seus ataques e comparado a temporada passada, evoluiu muito. Nos mostrando que deve ser a principal arma no ataque e fundamental para o time conseguir a vitória.

Municipal

Juventude: Diferente do seu adversário, o time comandado pelo Gabriel Dutra aposta em jovens jogadores. Além de ter o Daniel Batista como o grande destaque do elenco, a equipe tijucana conta com vários reforços. Um deles é o ala Ygor Dionísio, que vem se destacando em quadra pela sua explosão física nas infiltrações e quando faz uma marcação 1-1. Ele já tem médias de 18.1 pontos e 5.6 rebotes por jogo.

Daniel Batista: Quando falamos do Club Municipal, é difícil não citar o Daniel Batista. O ala-armador vem sendo um dos principais jogadores desta equipe a alguns anos e chega nesta partida com a missão de derrubar o grande algoz da temporada passada. Com médias de 21.6 pontos por jogo, ele tem tudo para desequilibrar o confronto.

Agora que já falei um pouco sobre esse confronto, qual o seu palpite para o jogo de domingo?

Published in Estadual

IMG 20180805 113029635 BURST000 COVER TOP

No domingo na Arena da Juventude, tivemos a partida mais aguardada da categoria entre o Oásis e o Kobras. Foi o confronto entre o atual campeão e o melhor time da temporada regular. No fim, o Oásis venceu o atual campeão por 62-60. A partida foi apertada desde o começo, mostrando a ótima qualidade das duas equipes. O diferencial para a equipe da Barra, foi aumentar a sua produtividade no final do jogo. Criando mais jogadas e conseguindo encaixar uma boa defesa individual. 

O destaque do jogo foi o Ricardo Machado com 19 pontos (61% de aproveitamento) e 4 rebotes. Veja algumas jogadas e a entrevista que eu fiz com ele.

Published in Estadual

kobras mackenzie

Por Erick Miranda

No último domingo no Sport Club Mackenzie, a equipe do Kobras visitou os donos da casa Mackenzie e foi surpreendida com uma partida equilibrada até o final, que resultou em derrota para o time de Cabo Frio por 74-67. Destaque para o armador do Mackenzie Rafael Alves, com 37 pontos e 17 rebotes.

Com um certo favoritismo, o Kobras iniciou melhor a partida ao apostar nas bolas no perímetro. Principalmente das mãos do armador Thiaguinho. Já o Mackenzie encontrou dificuldades para pontuar no começo do jogo, com alguns arremessos precipitados e pouca criatividade, fruto da boa defesa em zona da equipe do Kobras, que só permitiu 10 pontos ao adversário no primeiro quarto.

O panorama do jogo apenas mudou na metade do segundo quarto, quando o Mackenzie conseguiu impor uma nova postura defensiva, sendo agressivo, especialmente nas bolas de três da equipe do Kobras, fator que decidia o jogo até então.

Após o intervalo, o Mackenzie voltou melhor para a segunda etapa. Tendo a mesma atitude defensiva que teve no segundo quarto, uma rápida transição ofensiva e a mão calibrada do armador Rafael, a equipe do Méier passou na liderança do placar já nos últimos minutos do período. Pelo lado do Kobras, o problema físico do pivô Guilherme De Medeiros, com dores no cotovelo desde o começo da partida, dificultou a produção ofensiva da equipe. Que já não tinha o mesmo desempenho do início  e não contava com uma rotação muito grande. Vale ressaltar, que mesmo sem estar em suas condições ideais de jogo, De Medeiros liderou o Kobras em duas estatísticas, com 17 pontos e 14 rebotes.

O jogo foi para o último quarto em aberto, com o Mackenzie na frente por apenas seis pontos. O Kobras ensaiou uma reação ao anotar uma corrida de 10-0 no começo do quarto, mas não foi suficiente para levar o jogo. Decisivo nas bolas de três pontos, Rafael Alves assegurou uma importante vitória para o Mackenzie, que busca uma consistência maior na competição.

Published in Estadual

Neste domingo dia 18 de março a Liga Super Basketball pode “invadir” a até então desativada Arena da juventude e dar destinação social e esportiva a mais um legado olímpico. Foram 10 jogos em duas quadras e as estrelas da LSB puderam desfrutar de uma estrutura que flerta com as melhores do basketball mundial.

A terceira partida da quadra um foi sem sombra de dúvidas a melhor do dia. E que ainda pode contar com transmissão ao vivo, através do Youtube e do Facebook da Liga Super Basketball.

Kobras e Três Rios se enfrentaram em partida válida pela fase de classificação do grupo A do Campeonato Estadual Amador. O Time do Sul Fluminense foi um dos destaques da temporada passada, enquanto o Kobras é o atual campeão. Ambas as equipes estrearam na competição com vitória e entravam para segunda rodada da competição medindo forças para manter a invencibilidade.


Kobras x Tres Rios

O Jogo:

 

A bola subiu e Iago Fortini garantiu a posse de bola para o time de Três Rios que não demorou pra deixar claro o nível em que iria jogar essa etapa inicial.

O que vimos no primeiro período de jogo foi uma chuva de belos arremessos do time do Sul Fluminense. Se aproveitando de uma defesa do Kobras, que se limitava a fechar o garrafão, o time comandado pelo técnico Carlos Domingues deu mostras de que está muito bem treinado, com um índice de aproveitamento absurdo nos arremessos de média e longa distância.

O baile do primeiro quarto continuou no segundo, muito embora Irwing não poupasse esforços para manter o Kobras na partida, o time de Cabo Frio demorou a entender que precisava mudar a defesa e contestar absolutamente todos os arremessos do Três Rio se quisesse vencer.

O resultado disso foi que os times foram para os vestiários com o Três Rios vencendo por uma boa vantagem, Três Rios 43 x 29 Kobras.

Quando as duas equipes voltaram a quadra, O Kobras mostrou que a conversa no vestiário fez efeito. Impulsionados pela postura defensiva, muito mais agressiva de Guilherme Vasconcellos e Matheusão, o Kobras passa a contestar todos os arremessos do Três Rios, que muito bem organizado não queimava arremessos marcados, e passou a buscar agredir o garrafão do time do Kobras.

Este cenário fez muito bem ao Kobras, acostumado ao jogo físico os atuais campeões passou a ter muito mais êxito na sua defesa, e consequentemente a atacar de forma mais confortável o que permitiu ao próprio Matheusão e ao Marcelão ajudarem Irwing e De Medeiros que até então carregavam a pontuação do Kobras.

A situação desconfortável no ataque gerou uma irritação crescente ao Três Rios. E esse ambiente é extremamente confortável ao Kobras, que venceu os dois últimos quartos por 10 pontos cada um, explorando a irritação do adversário, para garantir, pontos e faltas sem deixar chances para uma nova reviravolta, garantindo uma vitória importantíssima para a temporada.

Final 71 x 64, Kobras segue invicto, e um dos favoritos ao título, enquanto o Três Rios também deixa o seu recado. O Time de Carlos Domingues claramente subiu um degrau e tem tudo pra disputar o título do Campeonato Estadual Amador.  

 

Destaques:

Marcelão (Kobras): 10pts, 17reb, 1ass, 1 toc e 21ef;

De Medeiros (Kobras): 12pts, 6reb, 1toc e 12ef;

Farlley (3Rios): 21pts, 7reb, 2ass, 1toc e 16ef;

Iago (3Rios): 7pts, 11reb, 1rou e 12ef.

Published in Estadual
Quinta, 14 Dezembro 2017 17:26

O que eu aprendi com o Kobras Basketball

Antes de mais nada, esse é um texto com a minha opinião pessoal sobre essa equipe.

Se você veio até aqui achando que a história do Kobras Basketball foi toda perfeita, porque ganhou o ano passado e conquistou o bicampeonato esse ano. Você veio ao lugar errado.

A trajetória do Kobras, foi tudo, menos perfeita.

Sim, a equipe conquistou o título ano passado e veio para essa temporada com uma grande moral. Já que além da boa equipe do ano passado, o time tinha se reforçado. Tinha tudo para o Kobras ter um ano perfeito dentro e fora das quadras.

Mas o choque de realidade e o prenuncio do que seria o ano da equipe comandada por Binato e companhia, aconteceu logo no primeiro jogo da temporada. O time estreou no Campeonato Estadual Amador enfrentando o Club Municipal, quem diria que eles iram se reencontrar mais tarde né? Na ocasião, o time perdeu na estreia e viu que essa temporada não seria tão fácil.

A partir desse início, o Kobras fez uma temporada regular de altos e baixos. Conseguia vencer os adversários, mas não era o Kobras que a pessoas conheciam. Aquela magia que o time mostrou na temporada passada, aparecia em pequenos relances na partida.

Além dessa inconsistência em quadra, problemas extra quadra foram afetando a equipe. Saída do seu grande comandante (Renan Pimentel) para ser assistente técnico no Campo Mourão (NBB) e outros problemas que não é válido eu citar aqui. Mas poucos sabem o que esses jogadores passaram.

Talvez esses problemas foram o motivo deles conseguirem o bicampeonato. Talvez não. Tenho certeza disso!

Parece loucura dizer isso, mas acredito que por eles passarem o que passaram juntos. Só fortaleceu a união deles em quadra.

O Kobras na reta final, não era um time e sim uma família.

Nos playoffs, eles disputavam cada jogada como se fosse um prato de comida. Sempre se motivaram como se fosse um pai ensinando o filho andar de bicicleta. Se cobraram como se fosse um pai cobrando a nota alta de um filho.

Esse foi o Kobras, em sua versão 2.0 mais recente.

Além da união e motivação, as qualidades individuais foram determinantes para o título.

Marcelão importantíssimo nos rebotes e na liderança em quadra, Thiaguinho também um líder e sempre fazendo boas jogadas, Binato e De Medeiros ajudaram muito o Kobras nos dois lados da quadra. Pedro Guido, Victor e Wallace incendiavam a partida quando entravam. Irwing e Vinicius, cresceram demais de produção na reta final e foram muito importantes para que o Kobras conseguisse o título.

Destaco também a torcida. A mulher do Thiaguinho (me perdoe, não sei o nome) sempre esteve presente nos jogos e apoiava incondicionalmente o time. Bem verdade, que ela fazia belas cobranças ao time e proporcionava a todos, momentos engraçados com suas tiradas de humor em momentos propícios. O filho do Marcelão (me perdoe, também não sei o nome) também esteve na reta final e claramente era um grande motivador ao pivô do Kobras. A todos que compareceram aos jogos, fica aqui o meu destaque e agradecimento por motivar esses homens a fazer diversas viagens de Cabo Frio até ao Rio de Janeiro no longo do ano.

O que eu aprendi com o Kobras esse ano, é estar sempre focado no meu objetivo. Mesmo que eu passe por diversos problemas, se eu tiver foco no que eu quero...eu consigo.

Published in Estadual
Segunda, 11 Dezembro 2017 15:55

Bicampeões

Neste último domingo, que ficou conhecido como o domingo das finais, o S.C.Mackenzie foi o palco que recebeu quatro jogos decisivos, dentre os quais o jogo três das finais do Campeonato Estadual Amador, entre Municipa e Kobras, que haviam chegado até ali qualificados por terem as duas melhores campanhas de seu grupo, bem como terem performado muito bem durante toda a disputa de playoffs.

camp kobras

O Jogo:

 

1º Período:

A partida começou com uma grande expectativa, para saber como se comportaria o Municipal sem seu técnico e um dos seus principais jogadores (Rogger), ambos suspensos por terem sidos ejetados no fim do jogo dois.

Se no jogo dois Daniel Batista sentiu falta de uma maior participação do elenco de apoio, Somália e Raphael abriram 6 x 2, num recado claro de que hoje apoio não iria falar.

Apesar do Kobras aos pouco ter igualado o nível de intensidade e comandados pelo sempre veloz Irwing e Vini Franciscone também “igualou” o Marcador.

A partida seguiu assim, com Irwing e Franciscone ditando as regras da equipe verde, e as duas equipes se alternando na liderança, até o final, quando o Municipal ainda pode contar com bandejas de Daniel e Ronaldo para fechar na frente por 14 x 13.

 

2º Período:

Na volta pra quadra De Medeiros recebeu bom passe de Franciscone para dar início a um massacre que sem sombra de dúvidas decidiu o duelo. O quarto foi vencido pelo Kobras por 29 x 3, e neste período todas as ausências do Municipal foram sentidas: 1º apesar de contar com um bom técnico no banco (Leonardo Silva), essa equipe foi moldada desde o início da temporada, a imagem e semelhança de Gabriel Dutra, tendo feito enorme falta para administrar o péssimo momento de sua equipe; 2º Rogger, mais do que ser o segundo melhor jogador desta equipe, ele é exatamente o nome que mais aparece nos hiatos deste time, sempre que Daniel está bem marcado, ou a equipe como um todo cai de rendimento, Rogger é um porto seguro através do qual o Municipal se sustenta; 3º Daniel, sem sombra de dúvidas um dos melhores jogadores e toda competição, tendo feito um brilhante jogo dois o craque do Municipal não estava em um bom dia, e ainda sofreu novamente com a boa defesa de Pezão e Fraciscone.

Por falar nesses dois, foram sem sombra de dúvidas os grandes destaques do segundo quarto. O Kobras ainda pode contar com Marcelão e Wallace, precisos para transformar o sangramento em hemorragia e dar um passo largo em direção ao bicampeonato. As duas equipes foram para o intervalo com o placar apontado 42x17.

 

3º Período:

A essa altura a missão do Municipal era por demais ingrata diante da grande vantagem estabelecida pelo adversário, enquanto ao Kobras a luta parecia psicológica, haja vista que o semblante de cada jogador, remetia a uma luta interna para manter a concentração e não dar brechas para uma reação do adversário.

Neste panorama, apesar do Kobras ter passado quatro minutos sem pontuar, e da brilhante atuação de Ronaldo do Municipal, o time da tijuca venceu o período por apenas cinco pontos de vantagem indo para o quarto derradeiro perdendo por vinte pontos (53x33).

 

4º Período:

Se o semblante do Kobras no período anterior transparecia o nível de concentração de cada jogador. No último quarto o semblante dos jogadores do Municipal já davam mostras de que eles já não tinham forças para mudar a história da partida.

Com a grande vantagem estabelecida, e as belíssimas atuações individuais de Franciscone e Marcelão, o título voltou para as mãos do Kobras, que ainda se deu ao luxo de perder o período por 17 x16, para vencer a partida por 69 x 50 e se sagrar bicampeão do Campeonato Estadual Amador.

Este é o terceiro título consecutivo da equipe de Cabo Frio, que antes de estrear em 2016 no Estadual Amador, se sagrou campeã da LIGA B em 2015.

 

Destaques:

Franciscone (Kobras): 23pts, 1reb, 2ass e 2rou;

Marcelão (Kobras): 9pts, 12reb e 1rou;

Wallace (Kobras):  6pts, 2reb, 4ass e 3rou;

Ronaldo (Municipal):11pts, 6reb, 1ass e 4rou;

Raphael (Municipal): 9pts, 8reb, 1ass, 2rou e 3toc.

Published in Estadual

Neste domingo teremos um dia cheio de finais no Sport Club Mackenzie e três partidas vão ser transmitidas pelo Facebook e pelo Youtube.

Abaixo vou te falar um pouco sobre cada equipe e em quem você deve ficar de olho.

MACKENZIE B VS FBMRJ

24899686 1588851371137575 2277261845552745935 n

O time do Mackenzie, é um dos times mais consistentes desde o inicio do campeonato. Fizeram uma ótima temporada regular e cresceram cada vez ao longo da competição. É um time jovem e extremamente aplicado. Costuma fazer bem o jogo de transição e a dobra na marcação, a pedido do ótimo treinador Felipe Alexandre.

Pelo lado do FBMRJ, a equipe também fez uma boa temporada regular. Mas veio mostrando a sua qualidade nessa reta final. Mesmo perdendo o seu melhor jogador (Rafael Pougy), a equipe mostrou que tem armas ofensivas suficientes para chegar forte nessa final. Time que usa bem o 4 aberto e uma rotação ofensiva intensa.

Fique de olho:

João Vitor (Mackenzie) – Jovem jogador que ajuda bastante o Matheus “Foca” Lage dentro do garrafão. Possui ótimo timing para rebotes, usa bem o footwork para superar os seus adversários.

Diego Santana (FBMRJ) – Jogador que possui média de duplo-duplo (23 pontos e 16 rebotes) e vem sendo importantíssimo após a saída do Pougy. Consegue ser muito útil nos dois lados da quadra e ainda pode pontuar no perímetro.

MUNICIPAL VS IMPACTO

 

O time comandado pelo Gabriel Dutra vem alcançando grandes feitos nesse campeonato. Após fazer uma temporada regular bem conturbada, o time de “meninas” vem derrotando equipes como mulheres maduras. Depois que venceu a fortíssima equipe do NBR, o time chegou na final em outro patamar. Equipe que desempenha bem o jogo coletivo.

A equipe do Impacto mostra desde o início do campeonato o porquê de ser uma das melhores equipes desse ano. Time muito bem encaixado e que consegue manter um bom ritmo de jogo do início ao fim. Jogadoras experientes e que assumem bem o papel de decisão quando o time precisa.

Fique de olho:

Débora Reis (Municipal) – Fez jogos inconstantes na temporada regular, mas vem sendo decisiva nos playoffs e nessa final. Ótima center, com passagem por seleção brasileira e que é dominante no garrafão. Faz bem o box out, pega importantes rebotes e dá lindos tocos.

Taliciane do Nascimento (Impacto) – Armadora talentosa e rápida. Fundamental para que o time do Impacto tenha sucesso no seu ritmo de jogo. Dá bons passes e é importante nas infiltrações laterais. Dita a velocidade do ataque e vem sendo a jogadora mais sóbria em quadra.

KOBRAS VS MUNICIPAL

24910008 944708285684948 4092812575471692172 n

Os atuais campeões tiveram um ano conturbado. Com mudanças no elenco e com a saída do Renan Pimentel (ex-treinador) no meio da temporada. A equipe mostra que mesmo com esses problemas, é uma ótima equipe e tem valores individuais que poucos times possuem. Joga muito bem com o 4 aberto e pontua muito bem quando os seus jogadores buscam os layups.

A equipe da tijucana é uma das equipes mais organizadas nesse campeonato. Mesmo com a perda do Rogger na última partida, o time tem outras armas ofensivas que podem pontuar. Time que faz muito bem a marcação no 1-1 e que é inteligente nas escolhas das jogadas.

Fique de olho:

Vinicius Franciscone (Kobras) – O MVP na temporada passada, cresceu muito de produção nos últimos jogos e foi determinante para a vitória do time no último domingo. Jogador que marca bem no perímetro, faz bem a transição defesa-ataque e usa bem o Eurostep para buscar um bom layup.

Daniel Batista (Municipal) – Jogador fundamental para a construção de pontos da equipe desde o início da temporada. Consegue assumir bem o papel de playmaker e scorer do time. Jogador que possui um bom Qi de basquete e que deve ser a principal arma ofensiva da equipe comandada pelo Gabriel Dutra.

Published in Estadual
Segunda, 04 Dezembro 2017 10:15

Kobras vence e nos presenteia um jogo 3

O palco não poderia ser melhor, o complexo esportivo Miécimo da Silva, abriu as portas do ginásio Zenny “Algodão” de Azevedo para receber os jogos de número dois das finais, masculino e feminino dos Campeonatos Estaduais Amadores da Liga Super Basketball.

Como manda a boa educação as damas foram primeiro, e você pode ver o que aconteceu nesta excelente matéria do nosso mago Felipe de Souza.

Já no Masculino as duas equipes foram a quadra com missões bem claras, ao Municipal cabia vencer e definir o campeonato sagrando-se campeão, confirmando o favoritismo e consagrando o excelente trabalho do trio Gabriel Dutra, Daniel Batista e Rogger Vianna, sem dar chances à recuperação e ao crescimento de um adversário de imensa qualidade como o Kobras.

Já aos atuais campeões, cabia entregar um algo mais, deixar na quadra o basquete que sempre se esperou, e pouco se viu deles nesta temporada, a equipe capitaneada por Tiago Binato, e Thiaguinho, tinha dentro de cada um dos integrantes uma vontade de apresentar o seu melhor basquete e provocar um jogo 3, que por sinal todos nós estávamos ansiosos por ver.

binato

O Jogo:

 

1º Período:

A bola subiu e de cara pudemos ver um Kobras diferente do que estávamos acostumados nesta temporada, jogando com bastante intensidade, em um ritmo impressionante, estabelecido por Irwing, os atuais campeões pressionavam na defesa e rodavam muito bem a bola no ataque.

Com essa solidariedade ofensiva que o time pode encontrar Binato duas vez sozinho para abrir o marcador e colocar 4 x 0 no placar.

No entanto, como não poderia deixar de ser, Daniel e Rogger no comando, o time da tijuca rapidamente igualou as ações, mantendo sempre a diferença em apenas uma posse de bola.

Até que à 21 segundos do fim, quando o marcador apontava 16 x 14 para equipe do Kobras, os atuais campeões sofreram uma dura baixa, aparentemente, uma entorse no joelho tirou Wallace da partida, que seguiu para o segundo período, com apreensão e a pequena vantagem da equipe do Kobras.

 

2º Período:

O segundo quarto começou e o Kobras, foi pra cima atropelando, emplacando uma corrida de 13 x 1, obrigado ao técnico Gabriel Dutra a pedir tempo, evitando um estrago ainda maior.

Pra piorar a situação, segundos antes do pedido de tempo o Municipal já havia perdido um dos seus principais jogadores, Rogger, assim como Wallace do Kobras, também se machucou, deixando Daniel Batista, em um voo solo na tentativa de fechar a série ainda no jogo dois.

O pedido de tempo até que ajudou, mas sem Rogger para desafogar Daniel Batista, o Municipal, foi uma presa fácil para o um Kobras que contava com excelentes atuações, Vinícius Franciscone, Victor Pezão, De Medeiros, e uma ótima sincronia de todo grupo, fazendo lembrar o time campeão da temporada passada.

Com tudo isso as duas equipes foram para o vestiário com o Kobras vencendo por 33 x 23.

 

3º Período:

Depois do intervalo as duas equipes voltaram um pouco nervosas, sentindo a responsabilidade de um jogo decisivo, não à toa, se passaram quase dois minutos, até que Ricardo Pereira convertesse os lances livres e inaugurasse o marcador no terceiro quarto.

A cesta de Ricardo parece ter sido um catalisador, que abriu o basquete de ambas as equipes, uma vez que dali em diante as duas equipes voltaram a encontrar o caminho para cesta. Melhor para o Kobras que com boas jogadas de Franciscone, Binato e De Medeiros, chegou a abrir 16 pontos de vantagem.

No entanto, com apenas dois minutos para o fim do quarto, Daniel Batista que até então não encontrava nenhum suporte ofensivo de seus companheiros, pode contar com André Lopes, Aslan e Robson, para aproveitar um apagão da equipe do Kobras e conseguir uma corrida de 10 x 0 que permitiu ao Municipal ir para o último quarto perdendo por apenas 7 pontos, mantendo a esperança do título ainda viva.

 

4º Período:

A reação no final do terceiro quarto não parou, bastou as equipes voltarem à quadra que reanimado pela ajuda dos companheiros Daniel pode comandar uma nova corrida, agora de 10 x 1, para virar a partida e mostrar o porque o Municipal, vem sendo aclamado como detentor da melhor equipe da competição.

Com a partida no pau, coube a Thiaguinho e Marcelão, darem as caras e com muita experiência pôr o Kobras novamente a frente no marcador.

O fim do jogo teve todos os elementos que uma partida como essa pede, em um momento crítico, onde poderia dar números finais ao duelo, Marcelão errou dois lances livre, com direito a Air Ball, por outro lado, antes disso foi Daniel Batista quem desperdiçou seus 3 arremessos livres.

Contudo isso, Kobras se manteve à frente e ainda pode contar com as desqualificações de Rogger (que estava machucado desde o segundo período), e só voltou a quadra, invadindo para reclamar da arbitragem e Gabriel Dutra, também por reclamar da arbitragem.

Ao final, vitória importantíssima do Kobras, com uma atuação coletiva brilhante, onde seis dos sete jogadores que tiveram tempo de quadra conseguiram sete ou mais pontos, onde seis dos sete também conseguiram seis ou mais rebotes, sem contar o belíssimo trabalho de Victor Pezão e Vinícius Franciscone fizeram defendendo Daniel batista, dando uma verdadeira demonstração de força e adianto a definição para um justíssimo jogo 3.

Já o Municipal teve um prejuízo enorme. Além de perder a partida, também perdeu Gabriel Dutra e Rogger desqualificados da partida, deixando uma missão duríssima, para Daniel Batista, que terá que se multiplicar na quadra para conseguir superar tantas dificuldade e realizar o sonho do título.

 

Destaques:

Tiago Binato (Kobras): 10pts, 6reb, e 1ass;

Marcelão (Kobras): 4pts, 14reb e 2ass;

De Medeiros (Kobras): 7pts, 10reb, 1ass e 1toc;

Daniel Batista (Municipal): 22pts, 3reb, 3ass e 2rou;

Diego (Municipal): 4pts, 8reb, 4ass e 1rou;

Raphael (municipal): 2pts, 8reb e 4toc.

Published in Estadual
Página 1 de 3
Top