Neste domingo, dia 15 de Outubro, os playoffs voltam a cena, com força total. As 09:00h da manhã em Niterói o LDJ encara o AVBN Niterói/Escobase pelo jogo 3 da série da primeira rodada dos playoffs do Campeonato Estadual Amador.

previewLSB

Como todo e qualquer jogo 3 existe todo um clima de tensão e expectativa ao redor deste confronto. Com isso, o time de Niterói tem apostado suas fichas em Capilé, que além de ser o principal nome da equipe durante toda a competição, vem sendo um dos destaques da série, com médias de 14,5pts, 6,5reb, 3,5ass e 4rou. Já o Liga da Justiça, que durante a fase regular teve nos irmão Inocêncio seus principais destaques. Até agora tem contado com uma nova esperança durante a série, 8,5pts, 8,5reb, 1ass, 2,5rou e 1toc. Essa partida também parece impossível de prever e resultado, principalmente porque até o momento o time que teve mando de quadra saiu derrotado da partida.

Published in Estadual

No próximo sábado dia 14 de outubro de 2017 às 14:00h na Vila Olímpica de Mesquita o Anchieta Fears encara o Sika Cabo Frio, em partida válida pela reta final da fase de classificação da categoria Master +35. Ambos os times contam com apenas 3 vitórias, tornando a disputa ainda mais acirrada, haja vista o confronto direta na briga por posição na tabela de classificação.

previewLSB

As esperanças de ambas as equipes repousam sobre os ombros de suas respectivas duplas de estrelas. O Sika conta com Julio Ourofino no perímetro e Clayton Acácio no garrafão, que combinados tem médias de: 30,67pts - 15,39reb - 5,49ass - 3,43rou - 0,14toc (Julio Ourifino 19,38pts - 4,25reb - 3,63ass - 1rou / Clayton Acácio 11,29pts - 11,14reb - 1,86ass - 2,43rou - 0,14toc).

Os Fears não ficam atrás, Rodrigão no perímetro e Edmilson Fena no garrafão tem um desempenho bem semelhante a dupla de Cabo Frio: 30,31pts - 13,71 - 6,13ass - 2,59rou - 0,38toc (Rodrigão 14,43pts - 6,71reb - 5ass - 1,71rou / Edmilson Fena 15,88pts - 7reb - 1,13ass - 0,88rou - 0,38toc).

As equipes empatam em número de vitórias, o desempenho de suas duplas é similar, tudo isso são ingredientes de uma partida que deve ser extremamente disputada, onde fica muito difícil prever quem sairá vencedor.

Published in Master

A segunda partida do dia no Complexo Esportivo Miécimo da Silva, aconteceu entre o Baskeire e o Macaé Épic. Jogo 2 da série de primeira rodada dos playoffs da LIGA B.

No jogo 1 o Baskeire saiu vitoriosos em uma excelente atuação da dupla Guto e Guilherme.

BASKEIRE X MACAÉ

O jogo:

1º Período

A bola subiu e pudemos observar uma diferença de postura das duas equipes. O Baskeire apresentava, certa apatia, aparentando saber de seu favoritismo, à medida que realizava as ações com baixa intensidade e concentração, como quem pudesse resolver o jogo sem suar. Enquanto o Macaé, chegou com a faca nos dentes, mordendo a cada bola, apresentado a postura que se espera de uma equipe que joga pressionada pela possibilidade da eliminação.

A postura do Macaé rendeu ótimos frutos o time comandado pelo “liso” Marcos Marques cortava a defesa do Macaé com muita facilidade o que permitiu o time a fechar o primeiro quarto vencendo por 23 x 8.

 

2º Período

Com seu  melhor jogador no banco, o Macaé viu a defesa do Baskeire se apresentar pro jogo o que mudou um pouco a dinâmica da partida. Alavancados por uma boa defesa o time laranja entrou no jogo, deixando de lado a apatia do início do jogo.

A mudança do panorama da partida se deve e muito as alterações realizadas por ambos os técnicos, por Marcos Marques no banco, custou caro ao Macaé, o que se agravou pelo fato da entrada de Guilherme no Baskeire, ter mudado a postura da sua equipe. Esse panorama obrigou o Macaé a parar o jogo e voltar com seu principal jogador para o fim do primeiro tempo.

Apesar da volta de Marcos, nem o Macaé, nem o Baskeire eram mais os mesmos e os times foram para o  intervalo com o placar marcando 36 x 32 para o Macaé.

 

3º Período

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, com uma crescente do Baskeire, que o Macaé lutava para controlar.

Quando o empate parecia iminente, eis que surge um toco fenomenal de Pablo tavares, que nova os ânimos do time de Macaé, impulsionando-os novamente no placar.

Apesar de todos os esforços do Baskeire em reverter o quadro, o times foram para o último quarto com o Macaé vencendo por 59 x 50.

 

4º Período

A equipe do Macaé entrou no último período com, uma defesa individual contra a qual o Baskeire teve muita dificuldade de jogar. Ainda que o mix match fosse altamente favorável, sobretudo no perímetro, o Baskeire acabou por selecionar muito mal os arremessos, chutando quase sempre pressionados e desequilibrados.

Esse panorama obrigou o Baskeire a parar o jogo na tentativa de se reorganizar. No entanto, muito embora o Baskeire realmente tenha realmente melhorado um pouco o pedido de tempo fez muito melhor ao Macaé, que passou a pressionar ainda mais conseguindo ótimas defesas e alguns contra-ataques que permitiram a equipe de Macaé abrir 15 pontos de vantagem no marcador.

Com o placar encaminhado, jogo três garantido, coube ao Epic apenas administrar o placar, final de jogo: 71 x 57, e promessa de jogão em mais um jogo 3.

 

Destaques:

Gabriel (Macaé Épic): 28pts, 4reb, 4ass e 3rou;

Pablo Tavares (Macaé Épic): 12pts, 16reb, 5ass e 4toc;

Marcos Marques (Macaé Épic): 14pts, 1reb, 10ass e 5rou;

Guilherme (Baskeire): 18pts 6reb e 8ass;

Adeilson (Baskeire): 11pts, 10reb e 4rou.

Published in Liga B

O terceiro jogo do dia, no Sport Clube Anchieta aconteceu entre o time da casa e o jequiá, em partida válida pela fase de classificação da categoria Master +35.

A partida representa um confronto direto, uma vez que antes do jogo o Anchieta ocupava a sexta posição na tabela de classificação, enquanto o adversário encontrava-se na quinta colocação.

jequia

O jogo:

 

1º Período

As duas equipes começaram a partida com artilharia pesada. As duas defesas concentraram suas atenções no garrafão, onde jogam as principais estrelas de ambos os elencos, com isso os chutes de fora foram naturalmente selecionados como a principal opção de ataque.

Com uma boa gama de especialista o time da Ilha do Governador saiu à frente e fechou o primeiro quarto em 22 x 14.

 

2º Período

No segundo quarto a dinâmica de jogo se manteve inalterada, com o Jequiá liderando a pontuação, com a liderança de Douglas e os outros bons chutadores da equipe.

Apesar de não conseguir conter o ritmo adversário o Anchieta se manteve focado no jogo, apresentando uma maturidade que já havia sido cobrada em outros jogos.

No fim as equipes foram pro vestiário com o placar apontado 52 x 25 para o Jequiá.

 

3º Período

Com uma grande vantagem no placar para o time do Jequiá, a partida acabou ganhando caracteristicas um pouco diferentes do primeiro tempo de jogo.

Ambas as equipes acabaram encontrando mais espaço pra jogar, o  que proporcionou que este fosse o período onde mais pudemos ver belas jogadas.

Neste quesito o destaque foram as belas bandejas de Cris Costa do Ancheita, que  a essa altura, já perdia tanto a disputa no perímetro, quanto o duelo no garrafão. 72 x 39.

 

4ºPeríodo

Com o resultado já definido, coube a ambas as equipes, rodar o banco, por todos os jogadores na quadra e administrar o jogo até o seu final 104 x 52.

Importante vitória do Jequiá que encosta nos líderes na tabela de classificação.

 

Destaques:

Douglas (Jequiá): 26pts, 11reb, 9ass e 1rou;

Igor (Jequiá): 26pts, 2reb, 6ass e 1rou;

Marcos Paulo (Jequiá): 8pts, 24reb, 2ass, 1rou e 2toc;

Cris Costa (Anchieta): 21pts, 4reb, 4ass e rou;

Leandrão (Anchieta): 16pts, 6reb, 1ass e 3rou.

Published in Master

Neste domingo dia 08 de outubro de 2017, Meriti Falcons encara o Vila Kings pelo jogo 2 da série de playoffs da LIGA B. O time da baixada fluminense tem a vantagem enquanto os Kings jogam pressionados pela para manter a série viva.

 

aaa opt

 

O Jogo:

1º Período

Mais, experiente, mais forte fisicamente, mais rápido, mais qualificado tecnicamente, o Vila Kings entrou em quadra disposto a mostrar toda a diferença que existe entre as duas equipes.

Se a missão estava clara, o trabalho foi extremamente facilitado por Fabian César.

O principal talento da equipe, estava bastante inspirado e colocou todo seu atleticismo a serviço do seu time, que lhes permitiu fechar o quarto inicial com 10 pontos de diferença, 26x16.

 

2º Período

De volta a quadra as duas equipes conseguiram subir o nível de intensidade. A defesa dos Falcons, mesmo não conseguindo acompanhar os adversários, passou a buscar mais os contatos, o que deixou o jogo mais truncado, dificultando a fluidez do jogo adversário.

Por outro lado os Kings sentiram o jogo imposto pelo time de São João, passando a trocar aquele ímpeto ofensivo inicial, por nervosismo e pressa, que culminou em uma série de erros técnicos, em decorrência do própria ansiedade, provocada pelo trabalho da defesa dos Falcons.

Diante deste cenário o técnico dos Kings pediu um tempo para acalmar sua equipe . A estratégia funcionou, na volta do tempo os Kings, passaram a cuidar mais da bola, realizar as movimentações de ataque e abriram ainda mais o placar que já era confortável.

No entanto, quando tudo já parecia controlado, uma mágica bola de 3 pontos convertida por Akeshi dos Falcons alavancou uma reação da equipe que dissipou a vantagem dos Kings, obrigando o técnico adversário a para o jogo mais uma vez a 41 segundos do fim do período na tentativa de preservar a vantagem que ainda existia. Novamente a estratégio deu resultado e o Kings foram para o intervalo vencendo por 47 x 38.

 

3º Período

Na volta do intervalo os dois times passaram a conceder algum espaço, permitindo uma troca de pontos que favoreceu ao Vila Kings, que voltou a ampliar sua vantagem.

Apesar de uma pequena reação dos Falcons no minuto final os Kings foram para o último quarto vencendo por 69 x 56.

 

4º Período.

Com o resultado da partida mais que definido, e com o jogo três garantido, as atenções se voltaram para Wesley Santos do Falcons.

O jogador do time de São João havia chamado muita atenção, por toda movimenta e disposição imposta na partida, muito embora, boa parte disso pudesse parecer um tanto quanto sem sentido e atrapalhado.

O fato é que atrapalhado ou não o jogador dos falcons, ao seu modo conseguia produzir um salseiro danado no time adversário, nos dois lados da quadra. A essa altura as apostas giravam em torno do que aconteceria primeiro: o quádruplo duplo (o jogador já tinha 13pts, 12reb, 11ass e 6rou); ou a eliminação (ele vinha jogando com 4 faltas desde o início do terceiro período).

Com todas as expectativas frustradas: Nem quádruplo duplo, nem eliminação, tão pouco uma reação dos Falcons, coube ao Vila Kings, romper a barreira dos 100 pontos pra dar números finais a partida (102 x 64), e garantir o último jogo da série.

 

KINGS X FALCOSN

 

Destaques:

Gleyson Barbosa  (Vila Kings): 9pts, 9reb, 12ass e 8rou;

Michel Ângelo (Vila Kings): 33pts, 7reb, 5ass, 4rou 1toc;

Fabian Cesar (Vila Kings): 18pts, 4reb, 1ass, 2rou 1toc;

Wesley Santos (Meriti Falcons): 13pts, 13reb, 11ass e 7rou;

Marcos Gomes (Meriti Falcons): 10pts, 4reb e 1ass.

Published in Liga B

A última partida do dia, no Clube Anchieta, reservou outro encontro de playoffs. O Atlântico enfrentou os Spartans, pelo jogo dois da série melhor de três, da primeira rodada dos playoffs da LIGA B.

No primeiro jogo a equipe do Atlântico conseguiu uma vitória dura, contra o Campo Grande Spartans, que jogava dentro de seus domínios (no centro esportivo Miécimo da Silva).

Para o Campo Grande era vencer ou fim da linha.

javan cgs

Published in Liga B

Na segunda partida do dia, ocorrida no Sport Clube Anchieta, Mad Lions e Direto na cesta se enfrentaram em partida válida pelos playoffs da LIGA B. No primeiro jogo da série melhor de três, o Mad Lions venceu, em uma partida dura decidida nas últimas posses de bola.

Por tudo isso o segundo jogo da série era cercado de muita expectativa.

dnc e mad lions jogo 2

O Jogo:

 

1º Período:

A bola subiu, e todo esse cenário que envolvia a série parecia bem menor que o simples desejo de ambas as equipes por jogar o seu melhor basquete. É bem verdade, que as defesas eram um tanto quanto permissivas, mas acima de tudo as duas equipes estavam realmente com o GPS alinhado em direção à cesta.

Com tudo isso, as duas equipes tiveram um rendimento bem parecido, com o Direto na Cesta conseguindo uma pequena vantagem, ao final do quarto inicial 16 x 14.

 

2º Período:

O segundo quarto começou no mesmo ritmo do primeiro, com as duas equipes mantendo um bom volume de jogo. No entanto, dessa vez, as defesas passaram a ser alvo de maior dedicação e atenção de ambas as equipes.

Com as defesas mais fortes, o caminho até a cesta se tornou mais estreito, cabendo à Artur Bartosch do Direto na Cesta e Felipe Pietro do Mad Lions liderar suas equipes na busca por pontuação.

Com tamanho empenho de ambos os lados, o resultado não poderia ser diferente, as equipes foram para o intervalo empatadas no marcador, 31 x 31.

 

3º Período:

Os dois times voltaram para o segundo tempo em um outro ritmo de jogo, buscando trabalhar melhor a bola e diminuindo um pouco o volume de jogo.

Além da pegada mais cadenciada, o Mad Lions pareceu sentir um pouco mais o intervalo, permitindo ao adversário abrir a sua maior vantagem na partida (7x0).

Para infelicidade do DNC, o mesmo lance que estabeleceu este placar, resultou na contusão do Kevin Gomes que torceu o tornozelo após converter uma bela bandeja.

A contusão do adversário acabou por esfriar o jogo, permitindo ao Mad Lions encontrar um líder, para dissipar a vantagem e empatar o jogo, à 04:17 do fim do quarto. este homem era Felipe Pietro, que fez 8 pontos em 2 minutos, obrigando ao Direto na Cesta a parar a partida.

Com o pedido de tempo, a equipe do DNC se reequilibrou na partida, igualando as ações, chegando até mesmo a voltar a liderança do placar.

No entanto, o Mad Lions manteve-se um pouco melhor retomando a dianteira antes do último quarto de jogo, 52 x 51.

 

4º Período

Lembra do início do texto, quando eu disse que no início do jogo o contexto da série, serviu como mero plano de fundo para o jogo, que parecia ser um fim em si próprio?

Aparentemente preocupado com o possível fim da série e da competição, o Direto na Cesta entrou em quadra com a faca nos dentes e de maneira avassaladora, liderados por Raphael Zaremba, abriu 10 pontos de diferença e não deu margens para o Mad Lions reagir, mesmo com a atuação brilhante de Filipe Pietro, que foi disparado o melhor jogador em quadra. Ao Final 67 x 58, série empatada, teremos jogo três.

 

Destaques:

Raphael Zaremba (DNC): 14pts, 6reb e 6ass;

Rafael Silva (DNC): 13pts, 5reb e 1toc;

Roberto Ribeiro (DNC): 10pts, 11reb e 1ass;

Felipe Pietro (Mad Lions): 29pts, 17reb e 1rou;

Marvin (Mad Lions): 15pts, 4reb, 7ass e 1rou.

Published in Liga B

O primeiro dia de outubro começou quente em Anchieta. O bairro da zona norte do Rio de Janeiro, onde se sedia o clube homônimo, estava tomado pelo espírito dos playoffs da Liga Super Basketball.

Com quatro partidas previstas nesta rodada para serem realizadas no Sport Clube Anchieta,  que abriu as portas para um dia inteiro de basquetebol.

A primeira partida do dia contou com o time da casa, o Anchieta B, que recebeu o Basket Maré para o jogo dois da série melhor de três, da primeira rodada de playoffs da LIGA B.

jafferson bemvindo anchieta

Published in Liga B

Neste domingo dia 24 de setembro de 2017, o Campo Grande Spartans receberam o Atlântico, na partida de abertura da primeira rodada de playoffs da Liga B. Com bom público que compareceu ao ginásio Zenny de Azevedo no Centro Esportivo Miécimo da Silva, a partida prometia muita disputa.

 

ATLÂNTICO 1 0 SPARTANS

 

O jogo

1º Período:

O jogo começou e a expectativa de uma grande partida deu lugar a apreensão pela quantidade de erros cometido por ambas as equipes. Entre erros e violações as duas equipes combinaram para 21 tornouvers, no primeiro período. Mais do que os 17 pontos que converteram no período.

Neste cenário, o Campo Grande Spartan conseguiu fechar à frente vencendo por 11 x 6.

2º Período:

Na volta à quadra o cenário apresentou poucas mudanças, com os times aumentando um pouco a intensidade na disputa das jogadas. Deixando a partida com mais cara de playoffs.

Em meio a tanta disputa, novamente o time da casa errou um pouquinho menos e se manteve à frente do placar 22 x 13.

3º Período:

O terceiro quarto não foi muito diferente dos anteriores, apesar da expectativa natural de melhora após uma conversa nos vestiários.

O grande diferencial do período foi o fato do Atlântico ter emplacado uma reação, que cortou a vantagem para apenas três pontos, o que desencadeou uma crise no time adversário. Enquanto o Atlântico ganhava ânimo para o último quarto, os Spartans chegaram ao ápice da crise, com o técnico do Spartans abandonando o banco antes da volta para o último período.

4º Período:

Apesar do jogo não ter virado um primor técnico, os dois times jogaram o seu mais lúcido basquete no último quarto, com ambas as equipes tentando trabalhar um pouco melhor a posse de bola e uma melhor seleção dos arremessos, o jogo melhorou muito.

A melhora foi tão significativa, que pudemos ser agraciados com um lindo “no look pass” de Rodrigo do Atlântico, que cortou toda a defesa para assistir ao Victor, que bandejou livre e cortou a vantagem para apenas um ponto à cinco minutos do fim.

Não demorou muito, para Marcos Javan dos Spartans e Adriano do Atlântico também pudessem deixarem suas marcas, com uma bandeja em dois tempos e um gancho ao melhor estilo “old school” respectivamente.

Faltavam apenas 2:30min para o fim, quando o Atlântico passou a frente pela primeira vez no placar, com uma bandeja de Marcelo Gomes.

Na sequência Marcelo voltou a encontrar a cesta para abrir três pontos e obrigar o adversário a parar o jogo.

Na volta do tempo, Marcos Javan acertou uma bola de três de rara felicidade, pra deixar tudo igual e acordar a torcida que permanecia anestesiada desde o terceiro período de jogo.

Com 50 segundos para o fim do jogo Wellinton matou dois lances livres e colocou os visitantes a frente mais uma vez.

Quando a partida parecia decidida Thiago Antônio empatou o jogo com um tapinha à 10 segundos do fim.

Com o relógio marcando 9,6 Wellinton teve mais uma chance de decidir nos lances livres mas errou ambos.

Sem sucesso nas iniciativas de parte a parte, a partida foi para a prorrogação algo justíssimo com a torcida que até então tinham visto apenas 10 minutos de basquete e estava sedenta por mais.

A prorrogação não manteve o nível do último quarto, com as equipes basicamente disputando muito e jogando pouco.

Melhor para o Atlântico que novamente com o Wellinton na linha de lance livre pode converter quatro arremessos,  para o Atlântico abrir sua maior vantagem na partida.

Com 53 segundos no cronômetro os Spartans cortaram a vantagem para apenas um ponto, mas não foi o suficiente, placar final 40 x 37.

 

Destaques:

Adriano (Atlântico): 5pts, 14reb, 2ass e 1toc;

Marcelo (Atlântico): 8pts, 7reb e 1rou.

Published in Liga B

No último domingo dia 24 de setembro de 2017, o Fazenda Montenegro recebeu o KE Sports pela fase de classificação do grupo A da categoria Sub18. Ambas as equipes entraram em quadra com aspirações as primeiras posições o que dava a exata medida da importância do confronto.

 

FullSizeRender 1 opt

 

O Jogo

1º Período:

Bastou a bola subir para percebermos na quadra o reflexo da disputa por posições na tabela de classificação. As duas equipes mostravam extrema entrega e disposição desde a primeira bola.

Nesse momento surgiu o primeiro destaque da partida. Com um conjunto que reunia, bom controle de bola, boa estatura, e boa visão de jogo, J.P Barros encaixou uma sequência de bons passes que fez o KE Sports saltar na frente e administrar uma pequena vantagem para fechar o primeiro quarto vencendo por 14 x 8.

 

2º Período:

Se o primeiro quarto J.P Barros foi o destaque, o segundo ficou marcado por um duelo de atletas bem mais rápidos. Matheus acelerava o jogo pelo time “da casa” enquanto Luiz Antônio começou a por suas asinhas de fora para o que seria a melhor atuação individual que eu pude presenciar até aqui na categoria.

Apesar dos esforços de Matheus que até conseguiu reduzir a vantagem, foi o armador do KE Sports quem dominou a cena a partir de então. Velocidade, controle do corpo, agilidade, fluidez de movimentos e principalmente, muita habilidade para finalizar as jogadas. Foi isso que Luiz Antônio apresentou para os presentes. Indo para o intervalo com o KE a frente por 20 x 16.

 

3º Período:

O Baile do Luiz Antônio continuava, apesar de receber marcação com um ou até mesmo dois na cobertura o jogador não parecia ter a menor dificuldade para continuar cortando a defesa adversária, e com seus cortes em direção a cesta, soube  aproveitar os espaços para assistir os companheiros, além de impor o mesmo ímpeto aqui descrito, para pegar rebotes e desarmar os adversários.

Diante de tudo isso um placar de 34 x 20 ao final do terceiro quarto pareceu de ótimo tamanho.

4o período

Impulsionados pela torcida, que em nenhum momento parou de incentivar o time da casa, o Fazenda Montenegro bem que tentou uma última reação.

No entanto, a manhã deste domingo tinha dono, e Luiz Antônio não daria brechas para o azar. No final do jogo 55x30 para o KE Sports em uma atuação de gala de seu camisa 5.

 

Destaques:

Luiz Antônio (KE Sports): 23pts, 6reb, 4ass e 4rou;

Arthur (KE Sports): 13pts, 3reb, 2ass e 1rou;

Bernardo (KE Sports): 6pts, 4reb, 2ass e 3 rou;

Matheus (Montenegro): 10pts, 4reb, e 2ass.

Published in Base
Página 3 de 6
Top